Facebook

No Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa, CNTur defende maior valorização das empresas do Turismo

O Brasil celebra hoje, dia 5 de Outubro, o Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa – segmento responsável por 98% dos negócios existentes no País e o grande motor da geração de empregos e distribuição de renda. Estas empresas – que já somam cerca de 9 milhões – movimentam mais de 25% do PIB brasileiro e empregam 52% dos trabalhadores de carteira assinada.

As pesquisas mostram que 4 em cada dez brasileiros são empreendedores nas mais diversas áreas do setor produtivo, o que nos leva à maior taxa de empreendedorismo dos últimos 14 anos: 36%, em 2016. A maior parte deste universo empreendedor atua em áreas direta ou indiretamente ligadas ao Turismo, um segmento que movimenta outras 52 atividades.

As micro e pequenas empresas estão no centro das bandeiras defendidas pela Confederação Nacional do Turismo (CNTur), entidade responsável pela representação das empresas do Turismo no Brasil, pois são parte fundamental do desenvolvimento regional homogêneo do turismo. A entidade defende a criação de linhas especiais de financiamento para as MPEs, com a reformulação das políticas de projetos e investimentos junto a bancos públicos e privados, bem como aos governos.

“Valorizar as empresas do turismo tem como consequência direta impulsionar a economia brasileira, não apenas fazendo o dinheiro circular pelos municípios como também promovendo a abertura de novas vagas de emprego. É uma iniciativa fundamental para o momento em que vivemos, de crise e alta taxa de desemprego”, afirma o presidente da CNTur, Nelson de Abreu Pinto, que relembra um dado obtido pela última pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM): viajar pelo Brasil é o maior e o principal sonho de 49% dos brasileiros, ficando acima até da compra da casa própria (47%).

Em paralelo, outro dado reforça a importância do setor de turismo: o número de municípios que adotam o turismo como estratégia de desenvolvimento, norteando a definição de políticas públicas para o setor, cresceu exponencialmente no ano passado, saltando de 2.175 cidades, em 291 regiões, para 3.285, em 328 regiões, segundo o Mapa do Turismo, elaborado pelo Ministério.

A relevância do turismo fica mais evidente quando os números gerais são detalhados, comprovando que o Brasil possui um potencial turístico ainda muito pouco explorado, sobretudo no exterior, garantindo a entrada de receitas internacionais na economia nacional. O Mapa do Turismo dos estados mostra crescimento no potencial turístico de todos os estados brasileiros, em percentuais animadores: em Alagoas, o crescimento foi de 139% em 2016, na comparação com 2015; no Piauí, o número de municípios turísticos dobrou, no mesmo período; no Acre, o crescimento foi de 40%; São Paulo passou a ter 432 cidades turísticas; o Maranhão, 53.