Alfredo Lopes, Presidente de ABIH-RJ, parceira da CNTur, fala sobre a crise na hotelaria fluminense

Compartilhar Artigo

Taxa de ocupação dos hotéis da cidade é de 61%, a pior dos últimos 5 anos.
Ainda assim, empresários estão otimistas e focam nas Olimpíadas.

Desde 2010, o setor hoteleiro do Rio não enfrenta um mês de julho tão ruim. Sobram vagas nos hotéis da cidade. Um levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis mostra que no mês de férias, a taxa de ocupação dos hotéis é de 61%, o pior cenário dos últimos 5 anos.

Além da crise econômica, o setor hoteleiro sente falta de um grande evento. Esse mês só não foi pior por causa da Maratona Internacional, ocorrida no último domingo (26), quando a taxa de ocupação dos hotéis da Zona Sul chegou a quase 80%.

Na Barra da Tijuca, a situação é mais preocupante. Nos últimos anos, essa região se tornou a maior área de turismo de negócios da América do Sul. Hoje, a quantidade de quartos vazios chega a 70%.

Mas, os empresários estão otimistas. Eles acham que ainda dá para mudar o cenário. “A ideia é dar descontos e promoções. Atrelar a entradas do Cristo, jantar, até junho [do ano que vem], quando vamos ter as Olimpíadas”, avaliou Alfredo Lopes, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Rio de Janeiro.

Fonte : Portal G1 de Noticias.

Artigos Relacionados

Bares

MTE integra CNTur na CONAETI

MTE empossa novos membros da CONAETI e lança Manual de Perguntas e Respostas sobre Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador No Dia Nacional de