Em Aparecida profissionais do turismo discutem bem comum

Compartilhar Artigo

Representantes de diversas localidades brasileiras e países vizinhos estiveram reunidos, entre os dias 23, 24 e 25, durante a 3ª Romaria dos Profissionais do Turismo a Aparecida.

Organizada pela AGCTUR, contando com apoio da CNTUR, Secretaria de Turismo de Aparecida, Pastoral do Turismo, a programação do evento contemplou as comemorações pelo Dia Mundial do Turismo (27 de setembro) abordando, na temática central, ações para o bem comum, conforme a proposta do Pontifício Conselho Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes.

O passeio pelo Rio é atrativo merecedor de constar em todos os roteiros elaborados para os turistas, em Aparecida

O ponto de encontro inicial aconteceu no receptivo do Hotel Rainha do Brasil e os participantes, cerca de 120, tiveram sua agenda do primeiro dia repleta de visitas a atrativos turísticos de Aparecida, como o passeio em balsa pelas águas Rio Paraíba (local onde foi encontrada a imagem de Nossa Senhora); passeio no trenzinho usado para city tours; visita ao Mirante do Morro do Cruzeiro, cujo acesso se dá pelo sistema de bondinhos aéreos da Bontur; Museu de Cêra, recentemente inaugurado, com 10 cenários e mais de 60 imagens em tamanho real; visita guiada ao Santuário Nacional, enriquecida pela apresentação detalhada dos símbolos existentes em toda a extensão do local.

O Bontur, sistema de bondinhos aéreos, sai do Santuário e eleva-se por sobre a Via Dutra até o Morro do Cruzeiro. Incrível a paisagem possível de ser contemplada. 

Após almoço no Centro de Apoio ao Romeiro, os profissionais do turismo ainda visitaram a Torre Brasília, onde existe outro mirante. À noite, fechando a programação inicial, emocionante visita à Basílica de São Benedito, em Lorena, rica em seu imaginário e com duas curiosidades: a descoberta, pelos restauradores, da cripta onde estão sepultos Risoletta Moreira Lima, a condessa de Moreira Lima, e seu esposo, José Joaquim Moreira Lima, o conde Moreira Lima. Existem detalhes a respeito da história desse casal os quais merecem ser ouvidos pelos monitores de visitas ao local.

Detalhe do interior da Basílica de São Benedito, em Lorena

Uma segunda curiosidade exige a atenção dos visitantes quanto à imagem de São Benedito, entronizada no altar. O local merece constar em roteiros turísticos.

Acessibilidade plena

O segundo dia da Romaria teve sua agenda ocupada por duas importantes palestras a respeito da temática do evento, troca de experiências e mesa redonda para debate a respeito. O local foi o Centro de Reuniões Santo Afonso de Ligório, anexo à Cidade dos Romeiros e Hotel Rainha do Brasil.

Fizeram parte da mesa de abertura dos trabalhos: João Gilberto de Oliveira, coordenador geral da Romaria e presidente da AGTUR, Associação dos Guias do Circuito Turístico Religioso; Padre Jorge Paulo Sampaio, diretor comercial da Rede Aparecida de Rádio e Televisão; Padre Carlos Alberto da Graça Godinho, presidente da Obra Nacional da Pastoral do Turismo de Portugal; Sra. Regina Helena do Amaral, secretária municipal de Turismo e representante do prefeito da Estância Turística de Aparecida, Antonio Márcio de Siqueira; Dra. Lenir Antures dos Santos Proença, da Confederação Nacional do Turismo – CNTUR.

Mesa dos trabalhos iniciais: Dra. Lenir, padre Godinho, João Gilberto, padre Jorge e secretária de Turismo, Regina Helena

O vice coordenador da Pastoral do Turismo e diretor regional de Turismo do Vale do Paraíba e Litoral Norte, Alfredo Gimenes, juntamente com João Gilberto Oliveira (AGCTUR) dirigiram os trabalhos os quais tiveram início com a fala do Padre Jorge Sampaio, da TV Aparecida. O religioso, defendeu a importância da acessibilidade plena a todos os turistas, não apenas considerando as limitações individuais. Segundo Sampaio, o Turismo exige constantes estudos científicos, por gerar oportunidades as quais são verdadeiros desafios. Para o padre, o Turismo é uma ferramente multivalente, capaz de possibilitar o crescimento e, para isso, deve ser direito de todos. Acessibilidade com sustentabilidade e respeitabilidade cultural são indispensáveis, inclusive quanto aos credos. Houve, inclusive, a recomendação para o combate quanto ao turismo sexual.

O constante exercício, por parte dos Guias Credenciados de Turismo, da prática de “enxergar possibilidades” para a formatação de roteiros benéficos aos turistas também foi uma recomendação de Padre Jorge Sampaio.

Turismo e Bem Comum
A Obra Nacional do Turismo (Portugal) se fez representar no encontro dos profissionais de Turismo por meio do padre Carlos Alberto Godinho, o qual discorreu a respeito do tema “Turismo e Bem Comum”.

Godinho buscou citar os conceitos clássicos e históricos de Turismo, suas abrangências e a real noção de “bem comum” assim como o modo prático de fazer acontecer ações efetivas e benéficas a todos os turistas.

O português salientou a necessidade de planejamento de roteiros, real envolvimento dos profissionais quanto a acolhida, fator primordial para o completo relacionamento humano com solidariedade e fraternidade. Ajustar roteiros quanto às faixas etárias, oportunizando acesso a locais de manifestação religiosa (enquanto cristãos, no caso do turismo religioso católico), respeitar as diferenças de credos e econômicas; entender e praticar o Código Mundial de Ética do Turismo; contribuir para a justa remuneração dos profissionais atuantes no segmento; respeitar e equiparar a mulher nos seus direitos, especialmente quanto à maternidade, também foram itens tratados pelo sacerdote europeu.

A corresponsabilidade entre profissionais e instituições públicas locais; participação quanto à melhoria da infraestrutura das cidades, incentivo à economia tradicional de cada povo, envolvimento da iniciativa privada, canalizando os resultados para aquilo tão recomendado pelo Papa João Paulo II.

Padre Godinho finalizou afirmando ser, o Turismo, ferramenta de se promover uma sociedade mais humana, equitativa e justa, atribuindo a todos a responsabilidade na construção de uma sociedade mais solidária, desde que vivido na autenticidade entre todos.

Mesa Redonda

Com a presença do Padre Jorge Sampaio, os jornalistas Cristina Lira, Amadeu Castanho, Marcos Oliveira e Marcos Ivan de Carvalho e mais o sociólogo Pedro Moreno, o período da tarde foi marcado por uma proposta de mesa redonda abordando os assuntos tratados nas duas palestras anteriores.

Castanho fez um breve resumo de palestra específica sobre turismo religioso, a qual ministra em diversos eventos dos quais participa. Mostrou números comparativos sobre visitação de turistas a santuários católicos no mundo inteiro, comparativos com os santuários brasileiros, narrou hábitos de acolhida quando da procissão do Círio de Nazaré.

Cristina Lira discorreu sobre sua experiência como organizadora do “Encontro dos Profissionais do Turismo com Cristina Lira”, ressaltou a acolhida do povo aparecidense à sua pessoa, citou suas experiencias com os diversos segmentos do Turismo e como assessora de grandes empresas do ramo de hotelaria, inclusive com experiências internacionais.

O sociólogo Pedro Moreno focou itens sob sua ótica de entender o turismo, principalmente o religioso, cuja formatação prescinde – inclusive, de conhecimento desde os bancos acadêmicos, mesmo se se considerando a grande produção de ideias as quais, por ação das próprias universidades, não têm publicidade e continuidade. Fez uma síntese de sua dissertação de mestrado e a disponibilizou aos participantes, via e-mail. Abordou a necessidade de elaboração lógica e organizada das programações para turismo religioso.

O jornalista Marcos Oliveira falou sobre as recomendações gerais das instituições voltadas ao Turismo mas, acima de tudo, destacou ser parte da educação a melhor utilização dessa ferramenta de interação e promoção do conhecimento. Justificou sua posição por haver trabalhado por muito tempo no Arquivo Histórico do Museu de Petrópolis. A informação guardada, em livros ou outros tipos de registro, tem importância enorme para a formatação do Turismo Religioso, haja vista a história de cada localidade, de cada templo ou comunidade cristã. Disse sobre a leitura errada quanto à figura dos museus. “Museu não é lugar de tralha”, disse.

Oliveira frisou quanto à necessidade de prática didática na montagem de roteiros e na forma de os apresentar aos clientes.

Marcos Ivan de Carvalho, diretor do Canal39, focou sua fala em orientações práticas aos agentes e guias de turismo presentes. Destacou a necessidade de organização interna e pessoal, apresentação, elaboração de dados pessoais dos clientes, inclusive quanto à saúde e particularidades. Recomendou a prática da comunidade Hare Krihsna, a qual recebe os visitantes e recomenda aos mesmos levarem para seus lares todo o lixo produzido pelos turistas enquanto estiverem em visita ao local.

Marcos também recomendou a mais ampla interação entre empresas e profissionais do Turismo, mesmo enquanto concorrentes, abrindo o leque de informações até mesmo quanto à qualidade dos serviços de hotelaria e transportes, muitas vezes capazes de prejudicar qualquer pacote oferecido aos clientes. Os profissionais de turismo têm a obrigação de promover o conforto, a paz, para seus clientes.

O envolvimento dos profissionais do Turismo e representantes da Pastoral do Turismo deve ser amplo e contínuo junto aos COMTURs, os Conselhos Municipais de Turismo, os quais devem ser, por sua vez, consultivos, deliberativos e executivos, não deixando ao capricho de muitas prefeituras a gestão prática das verbas destinas ao COMTUR, também foram referidos por Marcos Ivan.

Finalizando, o diretor do Canal39 citou recomendação do Papa Francisco sobre o combate à intolerância religiosa. Sobre isso, Ivan recomendou a formatação de roteiros os quais contemplem momentos de diversidade no lazer e religiosa.

Dom Raymundo Damasceno, paramentado, tendo à sua direita o secretário Laércio Bencko e os participantes da Romaria.

 O segundo dia da Romaria foi encerrado com a realização de Santa Missa, comemorando o Dia da Bíblia, e foi presidida pelo arcebispo Dom Raymundo Damasceno de Assis,e contando com a presença do secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Laercio Bencko.

Na homilia, Dom Damasceno falou da importância do acolhimento e da isonomia entre os seres humanos como recursos para a mais ampla erradicação das discriminações.

O terceiro dia da Romaria dos Profissionais do Turismo foi organizado com visitas ao Santuário da Esperança, em Guaratinguetá, e à Estância de Campos do Jordão.

A reportagem do Canal39 cumprimenta a todos e, em especial, o coordenador geral da 3ª Romaria dos Profissionais do Turismo a Aparecida, João Gilberto de Oliveira. Sua dedicação, seus esforços e sua garra em buscar promover bem comum também entre os profissionais de sua categoria são dignos de todos os elogios.

Um evento de grande porte, focado em garantir a visibilidade e a manutenção das ações profissionais, principalmente quanto ao segmento do Turismo Religioso, item gerador de muitos roteiros e promotor da melhor qualidade de vida, abrindo oportunidades de emprego direto para os profissionais, canalizando possibilidades de trabalho para outros inúmeros segmentos de atendimento aos turistas. Com isso, a acolhida se torna mais calorosa, fraterna e de igual qualidade para todos.

Parabéns, João Gilberto e todos quantos deram seu esforço para o sucesso do evento.

Agradecemos a acolhida e a hospedagem oferecidas à nossa equipe de reportagem pela Casa de Hospedagem do Seminário Santo Afonso.

Artigos Relacionados

Bares

MTE integra CNTur na CONAETI

MTE empossa novos membros da CONAETI e lança Manual de Perguntas e Respostas sobre Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador No Dia Nacional de